Dados analíticos do vídeo

Dados analíticos de vídeo centralizados vs. distribuídos

Os primeiros dados analíticos de vídeo, usados em sistemas analógicos, eram centralizados. Nessas instalações, o vídeo era transferido para o DVR (Digital Video Recorder, Gravador de Vídeo Digital), onde a análise era realizada. Portanto, todos os vídeos precisavam ser transferidos, muitas vezes contendo horas de conteúdo irrelevante, o que gerava cargas de rede e requisitos de armazenamento excessivos. Além disso, o processo exigia servidores adicionais dispendiosos, para processar os grandes volumes de dados.

A geração mais recente de dados analíticos de vídeo, distribuídos ou de borda, distribui o processamento do vídeo para o local que faz mais sentido; por exemplo, na câmera ou no codificador de vídeo. Analisar na borda significa que não há necessidade de servidores dedicados aos dados analíticos: a análise é realizada no feed de vídeo não compactado, o que cria uma arquitetura muito mais econômica e flexível.

Figura 3: um sistema verdadeiramente distribuído, com inteligência na borda (nas câmeras de rede e nos codificadores de vídeo), oferece o sistema mais dimensionável e econômico.

portfólio de dados analíticos de vídeo da Axis