Video management systems

Sistemas integrados

Quando o vídeo é integrado a outros sistemas, como ponto de venda e gestão predial, informações de outros sistemas podem ser usadas para acionar funções tais como gravações por eventos no sistema de vídeo em rede, e vice-versa. Além disso, os usuários podem se beneficiar de ter uma única interface para gerenciar sistemas diferentes.

Interface de programação de aplicativos

Todos os produtos de vídeo em rede da Axis contam com uma interface de programação de aplicativos (API) em HTTP ou uma interface de rede chamada VAPIX®, que facilita para os desenvolvedores a criação de aplicativos que contemplem o uso de produtos de vídeo em rede. Um software de gerenciamento de vídeo ou um sistema de gestão predial que utiliza o VAPIX® é capaz de solicitar imagens de produtos de vídeo em rede da Axis, controlar funções de câmeras de rede (por exemplo, PTZ e relês) e definir ou acessar valores de parâmetros internos. Na verdade, ele permite que um sistema faça tudo o que a interface de Web do produto de vídeo em rede permite fazer, e muito mais, como capturar imagens sem compressão no formato de arquivo BMP.

Um fórum setorial global e aberto, chamado ONVIF, foi criado no início de 2008 pelos fabricantes Axis, Bosch e Sony para padronizar a interface de rede dos produtos de vídeo em rede. Uma interface de rede padronizada aumentará a interoperabilidade e proporcionará maior flexibilidade para os usuários finais na criação de sistemas de vídeo em rede com produtos de vários fornecedores. Para saber mais sobre www.onvif.org.

Ponto de Venda

Exemplo de uma sistema de PdV integrado à vigilância por vídeo. Esta tela mostra os recibos junto com vídeos do evento. Imagem cedida por cortesia da Milestone Systems.

A introdução do vídeo em rede em ambientes de lojas facilitou a integração do vídeo aos sistemas de ponto de venda (PdV).

A integração permite que todas as transações na caixa registradoras sejam conectadas ao vídeo real das transações. Ela ajuda a capturar e evitar fraudes e furtos de funcionários e clientes. Exceções de PdV, como devoluções, valores inseridos manualmente, correções de linhas, cancelamentos de transações, compras de funcionários, descontos, itens com etiquetas especiais, trocas e reembolsos, podem ser visualmente confirmadas com o vídeo capturado. Um sistema de PdV com vigilância por vídeo integrada facilita encontrar e confirmar atividades suspeitas.

Podem ser usadas gravações por eventos. Por exemplo, uma transação ou exceção de PdV, ou a abertura da gaveta de uma caixa registradora, pode ser usada para acionar uma câmera e gravar e marcar a gravação. A cena anterior e posterior a um evento pode ser capturada utilizando buffers de gravação pré-evento e pós-evento. A gravação por eventos aumenta a qualidade do material gravado, além de reduzir o espaço necessário para armazenamento e o tempo necessário para pesquisar incidentes.

Controle de acesso

Integrar um sistema de gerenciamento de vídeo ao sistema de controle de acesso de uma instalação permite que o acesso à instalação e às salas seja registrado em vídeo. Por exemplo, é possível capturar imagens de todas as portas quando alguém entra ou sai de uma instalação. Isso permite a verificação visual quando ocorrer algum evento fora do normal. Além disso, também é possível realizar a identificação de eventos de “carona”. A “carona” ocorre quando, por exemplo, a pessoa que passa seu cartão de acesso permite, conscientemente ou não, que outras pessoas tenham acesso sem precisar passar o cartão.

Gestão predial

O vídeo pode ser integrado a um sistema de gestão predial (BMS) que controla vários sistemas, desde aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) até sistemas de segurança, proteção, energia e alarme de incêndio.

Veja a seguir alguns exemplos de aplicação:

  • Um alarme de falha de equipamento pode acionar uma câmera para exibir imagens de vídeo a um operador, além de disparar alarmes no BMS.
  • Um alarme de incêndio pode acionar uma câmera para monitorar as portas de saída e começar a gravação para fins de segurança.
  • O vídeo inteligente pode ser usado para detectar fluxos inversos de entrada de pessoas em um edifício devido a portas deixadas abertas ou desprotegidas após eventos, como uma evacuação.
  • Informações da função de detecção de movimento em vídeo de uma câmera localizada em uma sala de reuniões podem ser usadas com sistemas de iluminação e aquecimento para acender as luzes e desligar o aquecimento assim que a sala ficar vazia, economizando energia.

Sistemas de controle industrial

Muitas vezes, a verificação visual remota é vantajosa e obrigatória em sistemas complexos de automação industrial. Com acesso ao vídeo em rede através da mesma interface usada para monitorar um processo, o operador não precisa sair do painel de controle para verificar visualmente uma parte de um processo. Além disso, quando uma operação não funciona corretamente, a câmera de rede pode ser acionada para enviar imagens. Em alguns processos que exigem uma sala estéril, ou em instalações com produtos químicos perigosos, a vigilância por vídeo é a única maneira de ter acesso visual a um processo. O mesmo vale para sistemas de rede elétrica com uma subestação em uma localidade muito afastada.

RFID

Sistemas de rastreamento que utilizam RFID (identificação por radiofreqüência) ou métodos semelhantes são usados em muitas aplicações para rastrear objetos. Um exemplo é o manuseio de bagagens em aeroportos, rastreando-as e enviando-as para o destino correto. Se ele for integrado à vigilância por vídeo, haverá provas visuais de perda de bagagens ou de danos causados às bagagens e as rotinas de procura podem ser aceleradas.